15 janeiro 2016

Estou cansada de te esperar voltar


Confesso que tentei resistir até as palavras estarem saltando de mim por vontade própria, prometi uma ou duas vezes que só voltaria a desabar para as paginas quando o assunto fosse outro, mas olha para mim, ainda quero falar sobre você, sobre nós dois. Passo meus dias imaginando o que vai acontecer com a gente, tentando seguir nos seus intervalos, fingindo que não aconteceu nada nos dias em que você some sem dar noticias, sabe, não dói tanto, mas devo admitir que ainda deixa um espaço difícil de ignorar.

Ainda penso em você cada vez que me perguntam do coração, sempre respondo coisas sem sentido levando na brincadeira, mas acho que no fim das contas, você ainda não o devolveu para mim cem por cento, você ainda tem a copia da chave, da porta e do coração e vez ou outra aparece e fica para dormir, minhas amigas já estão cansadas de dizer que tá na hora de trocar a fechadura, mas se isso acontecer vai ser definitivo, não vou mais ficar com aquela expectativa deitada na cama fingindo ler um livro enquanto espero te ouvir entrar, vou ter que tirar de vez o resto das suas coisas do meu armário e pedir para sua mãe te entregar, por que sei que se for eu a colocar um ponto final nisso não vou ter coragem de te olhar por meses, não teria coragem de dizer na sua cara que não quero mais você por que é mentira.

Estou tão cansada, você suga minhas forças e parece não sentir nada, estou cansada de te esperar volta, de te ver partir, de fazer minha melhor cara de não é nada quando é tudo, você não faz a mínima ideia da pressão que estou sentindo, sei que quando aparece por aqui me abraça diz que me entende, que vai ficar tudo bem e que logo vai passar, que você vai estar aqui por mim, mais mentiras, você não dá a mínima, mente para mim, só se preocupa com você e com os seus problemas, mas eu ainda te amo, por motivos que até eu mesma desconheço, acho que ainda sou apaixonada pelo garoto sensível e encantador que conheci anos atrás, e que foi totalmente sufocado por esse homem que fingi estar na minha cama de vez em quando, quando esta se sentido sozinho ou exposto, que a única coisa que vê em mim atualmente é algo familiar, que por algum motivo não pode perder.

Estou quebrada de muitas formas e tentando desesperadamente juntar os cacos, perdida e correndo contra o vento tentando me achar, dediquei a você tempo demais, forças demais, espaço demais, agora preciso de mim de volta e não me tenho, não consigo terminar de vez com isso por que sempre acredito que tem uma boa explicação para sua ausência, distancia e silencio, apesar de você nunca me dar nem uma, eu continuo acreditando e penso que não posso sumir, e se você precisar de mim? Eu costumava ser sua confidente, hoje não sirvo nem para jogar conversa fora, estamos cheios um do outro, mas ninguém tem coragem de dizer chega.


É madrugada outra vez e você não apareceu ainda, parte de mim quer olhar para o relógio a cada 5 minutos e dizer que ainda é cedo, você ainda pode vir, outra diz para ir dormi e esquecer isso. Coloquei suas coisas em uma pequena mala, mas ainda não sei o que fazer com ela. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Desenvolvimento por: Mariely Abreu | Todos os direitos reservados ©. voltar ao topo